Artigos - Casamento, como sempre um DESAFIO!

Casamento parece um tema complicado, não é verdade? Quem não tem um, quer a todo custo casar. Quem está dentro de um casamento, questiona-se freqüentemente porque casou.

Casamento antes de mais nada é arte! Sim, arte! Seja porque temos que ter flexibilidade suficiente para contornar problemas, criatividade o bastante para encontrar alternativas para o dia a dia, ou até mesmo capacidades e habilidades refinadas que acione a competência de saber garantir o resultado que você quer e deseja. 

Sim! Casamento depende de competência e capacidade artística de transforma-lo em algo belo. 

Por outro lado, estamos diante de estatísticas aterradoras sobre o casamento. Você sabia que a cada dez casamentos realizados num mesmo dia, oito destes entrarão com pedido de separação entes de completar dois anos de união? Pois é. Esta é a estatística que os cartórios de nossas capitais dispõem hoje. É um dado catastrófico no que diz respeito à competência da sociedade em manter relacionamentos. A conclusão é nefasta: nossa sociedade é incompetente no treino de seus filhos para a arte do casamento. Não sabemos educar pessoas para relações adequadas.

Alguns pais podem ficar chocados com estes dados. Mas são verdadeiros. Tenho certeza de que a intenção mais elevada de cada um de nós não é esta. Mas o resultado diagnosticado não bate com o desejo maior: a felicidade da alegria na relação. 

Como então reverter este quadro? E se você já se encontra dentro desta estatística? Ou seja, como dar um jeito na minha relação? É possível devolver a alegria e a paixão a casamentos de 5, 10, 20 40 anos? 

Sim, é possível. Lembram daquele ditado que diz: ´quando um passarinho não quer, dois não se bicam’? Pois é, o mesmo vale para este problemas conjugais. Quando uma das partes resolve não mais‘bicar’ o outro e começar a proporcionar um ambiente melhor, a mudança já começou. Ficar esperando que o outro dê o primeiro passo da mudança é uma espera inútil. Esta espera pode durar muitos anos, até mesmo décadas. Isto vale dizer que se o outro não der o primeiro passo tudo vai continuar do jeito que está, e que você vai continuar sofrendo com os resultados de seu relacionamento. Quem continua a sofre é você. 

Logo, você sabe quem é a primeira pessoa que precisa mudar? É você mesmo! O primeiro passo é sempre o seu. É preciso desejar ardentemente um bom relacionamento, ou seja, saber idealizar ou pensar um relacionamento perfeito. Há pessoas que só sabem pensar desgraça. Quando falam de seus relacionamentos, por melhor que estejam sempre abordam o tema falando negativamente do(a) companheiro(a) ou dos relacionamentos alheios. Esta é uma forma de atitude mental que prejudica a intenção de mudança.

Aprender a encontrar aspectos positivos no relacionamento é de fundamental importância. No consultório com pacientes, sempre chamamos a atenção deles para sua atitude mental, dizendo que ‘você é aquilo que pensa ser! Você é aquilo que fala de si e dos outros!’Esta frase incomoda a maioria das pessoas porque faz com que ela se dê conta que o resultado de sua vida hoje, é de inteira responsabilidade dela. É o colocar-se no papel de ser plenamente responsável por si. Isto é fundamental para a mudança. Ninguém consegue provocar mudanças enquanto justifica que o problema de sua vida são os outros. Pessoas que afirmam isto, estão dizendo que para solucionar seus problemas só há uma solução: as pessoas (os outros) é que precisam mudar e se adaptar a ela, uma vez que ela está sempre correta e os outros é que estão errados. Pois é, não tem solução. Este tipo de pessoa tem muitas dificuldades para mudar a qualidade de sua vida.

Você quer mudanças! Comece hoje a mudar você mesmo! Lembre que mais importante do que estar dizendo para as pessoas que você vai mudar, é demonstrar com atitudes e comportamentos a mudança. Quando você demonstra com comportamentos a mudança é incontestável, ninguém conseguirá dizer que não pode acreditar em você. Por outro lado, lembre sempre que ao mudar um comportamento, você precisa manter a mudança para sempre. Não adiante mudar só hoje. O novo comportamento precisa fazer parte de seus novos hábitos.

Posso lhe dar uma sugestão? Apenas como exemplo do que pode acontecer se você mudar um pequeno comportamento seu: durante dois dias, apenas dois dias, toda vez que você abrir a boca para falar com a pessoa que você ama, fale apenas aquilo que tu admiras nela. O quanto ele(a) é elegante, bonito(a), charmoso(a). Só por dois dias. E perceba os pequenos resultados. Pode ser um sorriso, um olhar cheio de lágrimas, um rosto confuso por não estar entendendo o que está acontecendo, e por aí vai. Se estas pequenas coisas acontecerem, isto prova que você tem a capacidade de provocar mudanças ainda maiores. É claro que sim. Lembre que você aprimorou apenas um pequeno detalhe de todo conjunto de comportamentos que você possui. “O pecado não está no que entra pela boca do homem e da mulher, mas sim naquilo que sai dela”.

Divirtam-se, curtam e cuidem de seus relacionamentos!

Leonardo Barbieri Bueno
Psicoterapeuta
Master-Trainer em PNL



VOLTAR