Artigos - O Amor

Você sabe o que é o amor? Você já amou? 

Este será um encontro onde conversaremos sobre este tema tão atual e polêmico – o amor. Desde a antigüidade já se falava que a fonte da cura é o amor. Que se alguém deseja evoluir para níveis mais elevados de consciência, o caminho também é o amor. Todos os manuscritos bíblicos, o próprio Alcorão e até mesmo antigas escrituras das civilizações orientais afirmam que o caminho da cura e da evolução do ser é o caminho do amor.  

Para amar é imprescindível a competência. Saber amar. Veja, não é apenas uma questão de sentir o amor. É essencial saber como colocar isto em prática. Praticar o amor faz com que alimentemos a própria alma de mais amor. É um processo retro-alimentativo, onde quanto mais você nutre, vivência e oferece, mais você desenvolve a capacidade de gerar amor em você mesmo. 

Aqueles que já tiveram oportunidade de experimentar o estado de amor incondicional sabem, que dentro deste estado, nossa percepção do mundo e de nós mesmos se transforma radicalmente. Temos uma consciência clara sobre tudo que acontece ao nosso redor. Respondemos aos problemas do cotidiano com mais vigor, alegria e motivação e esperança. Alcançamos resultados com mais eficiência e menos esforço. E isto realmente acontece, porque esta é a grande diferença entre o amor e a paixão. 

A sensação que temos quando estamos apaixonados e a mesma sensação de quando estamos amando. A diferença é que a paixão é cega, surda, muda e burra. Quando amamos alguém mesclamos a sensação de amor com a sabedoria. Amor é esta mistura da fonte de energia (a sensação) com a sabedoria. O amor é sempre sábio. Tem bom senso. O amor desenvolve em nós o senso de cuidado e confiança por nós mesmos. E onde há sabedoria, não existe medos, culpas ou dor. Somente o estado de amor nos possibilita perdoar, cicatrizar feridas, curar o passado. 

Toda a transformação inicia primeiro dentro de nós. Logo, se você deseja melhorar a qualidade de sua vida amorosa a pergunta é: você se ama suficientemente? Você tem cuidado de si mesmo? Quando foi que você se presenteou pela última vez? Quando foi que você olhou-se no espelho e admirou profundamente aquela pessoa diante de você? Você vai em busca do que quer? Você pega o que quer? O que você faz depois que você alcançou o que queria? Seu relacionamento é 100% gostoso? 

Algumas pessoas medem o quanto sentem amor, através da quantidade de ciúme que nutrem pelo outro. E se o outro não sente ciúmes? Bem, então ele não o ama. Besteira! Ciúme é uma profunda falta de confiança em si mesmo. Todo ciumento inconscientemente está sempre dizendo:não tenho competência para estar ao lado desta pessoa. Qualquer outro(a) pode dar mais felicidade a ele(a) do que eu.’  Ciúme é um dos piores canceres num relacionamento. Típico do estado de paixão. 

Infelizmente muitas pessoas ainda não descobriram o que é o amor realmente. Vivem dentro do estado da paixão. E paixão é como fogo na palha. Queima forte e rápido. Acaba com a mesma rapidez que começa. A paixão incendeia, e é daí que vem sua força destrutiva. E é por isso mesmo que quando o relacionamento baseado em paixão termina, o casal não suporta olhar um para o outro. O desprezo toma o lugar da paixão. 

Como podemos então estabelecer relacionamentos baseados no amor, e não na paixão? Felicito-o(a) porque você provavelmente já caminhou a metade do caminho para isto. Já teve alguma experiência, por menor que pareça, onde vivenciou o amor. Todos nós temos algum tipo de experiência amorosa. Logo, você tem no mínimo noção do que seja isto. Talvez o que esteja faltando é aprender a evocar esta emoção e juntá-la com sua sabedoria interior.  Em segundo lugar, aprender a colocar o amor em prática, o que exige experiência, conhecimento, ou seja, competência. 

 Leonardo Bueno
Psicoterapeuta, Consultor e Palestrante
Crp: 12/01512



VOLTAR